Brasil: Entre os milhares de manifestantes da Greve por Direitos estão os Camponeses e Camponesas do MPA

Nesta sexta-feira, 30 de junho, movimentos populares e centrais sindicais que constroem as frentes Povo Sem Medo e Brasil Popular realizaram atos por todo país em defesa dos direitos da Classe Trabalhadora, por Diretas Já, Fora Temer e contra as reformas trabalhista e da previdência. São trabalhadores do campo e da cidade que deixaram seu trabalho, ocuparam, fizeram piquetes e trancaram, antes mesmo do sol nascer até a noite, as ruas, vias, praças e rodovias do Brasil manifestando-se em mais de 100 de cidades, em defesa de seus direitos.Entre os milhares de manifestantes na Greve Por Direitos nesta sexta-feira, estão os camponeses e camponesa do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), que estiveram mobilizados fortalecendo a Aliança Camponesa e Operária, somando-se aos demais movimentos e centrais sindicais que constroem as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, pois Quem Alimenta o Brasil Exige Respeito.

Registro realizado no RS, homenagem aos companheiros/a. Foto: MPA

Registro realizado no RS, homenagem aos companheiros/a. Foto: MPA

No Rio Grande do Sul o dia nem tinha amanhecido e os trabalhadores do campo e da cidade já estavam nas garagem em Porto Alegre fazendo piquetes, assim como na Refinaria Alberto Pasqualini – REFAP/Petrobrás, em Canoas. Em Sarandi os manifestantes foram até a Agência do INSS e do Banco do Brasil, seguindo para o Trevo da cidade onde realizaram uma homenagem aos companheiros Larri Grosseli, Vitalvino Mori e Roseli Nunes da Silva mortos neste mesmo lugar em 31 de março de 1987, ainda naquela data vários companheiros e companheiras foram atropelados quando durante protesto de pequenos agricultores, camponeses e sem-terras, um caminhou desgovernado atingiu uma barreira humana formada na BR 386, em Sarandi durante a manifestação. Como dizia Rose, “Eu vou ficar aqui, até o fim. Espero que quando meu filho esteja grande, tudo isso não seja em vão, que ele tenha um futuro melhor”.

Registro realizado em SP. Foto: MPA

Registro realizado em SP. Foto: MPA

No Rio de Janeiro, camponeses, camponesas, petroleiras e petroleiros fizeram piquete na REDUC em Duque de Caxias desde as 4 horas da manhã, no fim do dia, somaram-se no ato organizado pelas Frente Brasil popular e Povo Sem Medo. Em São Paulo não foi muito diferente, desde as 3 horas da manhã os camponeses e camponesas do MPA somaram-se aos petroleiros e petroleiras em piquete no Terminal da Transpetro de São Caetano e no fim do dia, somaram-se no ato na capital.

Registro realizado no PE. Foto: MPA

Registro realizado no PE. Foto: MPA

No Pernambuco, integrantes da Frente Brasil Popular trancaram a PE 122 e BR 116 no Sertão do Araripe com participação expressiva dos camponeses e camponesas do MPA. No Sergipe, os camponeses e camponesas do Movimento somaram nos atos em dois locais, Poço Redondo e Aracaju, com participação da Brigada Nacional, sendo que na capital, Aracaju, nenhum ônibus circulou no dia 30/06. Já no Piauí, cidade de Picos, os manifestantes marcharam pelas principais ruas da cidade e INSS, na oportunidade camponeses, trabalhadores do campo e da cidade, bem como, o comércio aderiram em massa à greve por direitos, paralisando suas atividades e baixando as portas paralelo a marcha.

Registro realizado em SC. Foto: MPA

Registro realizado em SC. Foto: MPA

Na Paraíba, os camponeses e camponesas do MPA somaram-se aos demais trabalhadores na marcha pelas ruas da cidade seguido de um ato público. Em Santa Catarina, no Sul do país, além das organizações que constroem as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo o trancamento da BR 282 e o trevo de acesso a Chapecó, contou ainda com a participação outras entidades e organizações locais. No Distrito Federal foram realizadas diversas ações nas cidades administrativas e em Brasília, a Explanada dos Ministérios ficou vazia, normalmente é lotada e bem movimentada.

Registro realizado no SE, juventude do MPA. Foto: MPA

Registro realizado no SE, juventude do MPA. Foto: MPA

Já em Rondônia, no Norte do país, os camponeses e camponesas do Movimento estiveram nas ruas em Vilhena, Ji-Paraná, Ouro Preto e Ariquemes juntos as demais organizações da Frente Brasil Popular. No Espirito Santo, o ato foi em Vitória onde os camponeses e camponesa do MPA somaram-se aos demais trabalhadores do campo e da cidade na Greve Por Direitos e neste sábado, primeiro de julho, o Movimento permanece na capital onde está fazendo uma ação de Agitação e Propaganda.

Por Comunicação MPA

Posted in Uncategorized