Brasil: Mutirão Da Esperança Camponesa Trilha Pelo Chão Sertanejo De Luta E Resistência De Monte Santo en Bahia

Entre os dias 14 a 18 de agosto, iniciou-se a primeira etapa do Mutirão da Esperança Camponesa nas comunidades de Monte Santo, município baiano onde foram visitadas em média 150 famílias. Escutar o povo, dialogar sobre a realidade das comunidades camponesas sobre a conjuntura política, renovar a mística e a luta são princípios fundamentais para o trabalho de base. Caminhando pelo chão sertanejo de luta, resistência o mutirão foi realizado pela brigada de militantes do MPA, juntamente com entidades parceiras como a Associação Regional dos Grupos Solidários de Geração de Renda (ARESOL) e Associação Regional da Escola Família Agrícola do Sertão (AREFASE).

Visita as Comunidade Camponesas de Monte Santo-BA. Foto: MPA

Visita as Comunidade Camponesas de Monte Santo-BA. Foto: MPA

Para Anessa que participou como brigadista do Mutirão, “o Trabalho de Base é um processo de observação das relações de gênero, aspecto como a juventude, as crianças, da participação das mulheres. Os jovens demonstraram interesse em participar e a nossa tarefa agora é pensar como inserir esses jovens nos trabalhos do Movimento. É muito interesse chegar nas comunidades neste momento de crise que o Brasil está vivendo, o tema envolveu muitos os camponeses e camponesas, eles estão muito preocupados com as perdas de direitos. O Mutirão é místico, de renovação e formação”, explica a jovem camponesa do MPA.

Ações do Mutirão pelas Comunidades. Foto: MPA

Ações do Mutirão pelas Comunidades. Foto: MPA

Nas andanças pelas comunidades do município foi possível identificar o potencial produtivo da região, as famílias camponesas tiveram um bom período de safra com produção de feijão e milho, por meio do trabalho coletivo e em forma de mutirão, as famílias estão se preparando para a colheita.

Camila Rosário, militante do Movimento também esteve participando e fala do diálogo sobre a conjuntura. “Como nós pobres da roça estamos sendo bastante prejudicado com a perda de direitos, nas conversas sobre o tema houve muita interação das pessoas, expondo suas opiniões. As pessoas que participaram [do Mutirão] chegaram a um consenso, que a melhor forma de passar e superar este momento de crise no país é por meio da organização política”, explica ela.

Atividade coletiva. Foto: MPA

Atividade coletiva. Foto: MPA

Neste sentido, o MPA na Bahia, segue com a construção do Mutirão da Esperança Camponesa, seguindo para a realização da segunda fase no Recôncavo Baiano.

 

 

 

 

Por Comunicação MPA

Posted in Uncategorized