Muitos caminhos e uma só direção: VI Congresso da CLOC

9 de abril de 2015

entrevistasbrunocomp.jpgAsfalto, estradas de terra, ônibus, carro, carona, avião muitos foram os caminhos e meios que camponeses e camponesas de todo Continente Latino Americano na bagagem rumo ao VI Congresso Continental da CLOC sediado em Buenos Aires, Argentina entre os dias 14 a 17 de abril. Na bagagem, experiências, sementes e um objetivo em comum, reafirmar a luta por soberania camponesa e indígena contra o capitalismo.

Alessandro Medeiros, jovem camponês integrante do MPA saiu de Rondônia Estado Brasileiro situado na Amazônia, com destino ao VI Congresso, foram mais 500 km e 7 horas de viagem de ônibus de sua casa até a capital, onde tomou um avião para até Buenos Aires, ” antes de sair do congresso estava trabalhando com minha família na lavoura de mandioca, cheguei ontem à tarde (8) e estou muito animado com as possibilidades desse congresso, queremos reafirmar nosso compromisso com a agroecologia como jeito de produzir, e contagiar toda juventude latina para intensificar a luta contra o capital”, afirmou o jovem camponês do Brasil.

Na manhã do hoje (9) chegavam a sede do VI congresso a delegação chilena, Patsy Zamorano e Rosa Veda percorreram por quase trinta horas em um ônibus para chegar até aqui, Patsy é moradora da capital chilena Santiago, já Rosa veio da Comuna de Tomé do estado de Concepcion percorreu mais seiscentos quilômetros até a capital, “tivemos que nos esforçar muito para arrecadar fundos para que nossa delegação viesse ao congresso, sabíamos que quanto maior nosso esforço mais pessoas poderiam vir, nas últimas semanas preparamos e vendemos choco um prato regional feito de milho, vendemos mais de quinhentos”, relatou Rosa, já Patsy e os companheiros e companheiras da Conaproch organização da qual faz parte, “fizemos uma rifa, rifamos produtos feitos por camponeses e camponesas para conseguirmos recurso, também antes de sairmos, realizamos assembleias com jovens de nossa organização assim podermos trazer elementos para a assembleia de jovens da CLOC” disse companheira Patsy do Chile.

Já o camponês José Abrón Guerrero, que faz parte do MNCI paralisou durante alguns dias o seu trabalho com o gado para poder participar do VI Congresso, José vive na província argentina de Neuquen distante mil e quinhentos quilômetros da capital, foram cerca de dois dias de viagem e três ônibus diferentes foram tomados, “nós trabalhamos com criação de gado, vendemos carne e couro nos últimos dias estávamos ansiosos para vir ao congresso, para mim será uma experiência muito ampla e rica, sei que vou conhecer pessoas de todo o continente e quero compartilhar meu jeito de trabalhar e viver como eles” relatou o camponês Abrón da Argentina.

Vindos dos mais diversos lugares, na bagagem trazem algo em comum, a vontade de construir uma América livre, trocar experiências e mais uma vez afirmar a luta camponesa, indígena e popular. O VI Congresso Continental da CLOC, traz como tema central a unidade e a soberania dos povos como forma de combate ao capitalismo e tem como sede o Centro Nacional de Recreação – CeReNa em Buenos Aires, que irá receber mais de mil delegados de todo o continente.

Posted in Uncategorized