Centro de Producción y Formación de Santa Cruz del Sur recibe a la II Escuela de Comunicación Popular de la CLOC-VC

Jueves 13 de Septiembre de 2012

A CLOC-VC vê como estratégico trabalhar para que os movimentos sociais tenham seus próprios meios de comunicação

Comunicação como prática social forjada na luta de classes, para transformação da realidade, construída e protagonizada pelos setores populares. É nessa perspectiva que a Organização Latinoamericana das Organizações Sociais do Campo da Via Campesina (CLOC-VC) realiza entre os dias 15 e 29 de setembro, no Centro de Produção e Formação Camponesa São Francisco de Assis, município de Santa Cruz do Sul-RS, do Movimento dos Pequenos Agricultores- MPA, a II Escola de Comunicação Popular.

Cerca de 40 delegados que integram movimentos camponeses da Argentina, Bolívia, Brasil, Colombia, Ecuador, El Salvador, Guatemala, Haiti, México, Panamá, Paraguai, Peru, República Dominicana, Uruguai e Venezuela, estarão presentes na formação.

A escola tem como objetivo contribuir com o processo de formação política junto ao debate da comunicação popular e alternativa, a partir do diálogo de saberes entre teoria e prática, inspirados pelo educador popular, Paulo Freire, e guiados pelas lutas dos movimentos camponeses.

A idéia é fortalecer dentro dos movimentos a construção de meios de comunicação próprios e independentes, que carreguem a identidade e as posições ideológicas das organizações, garantindo autonomia e o desenvolvimento das capacidades auto-organizativas camponesas.

Para a CLOC-VC, a escola se constitui como um importante espaço de formação e construção da estratégia de comunicação dos movimentos camponeses no continente latino americano, frente ao avanço do capitalismo. Em nota de divulgação das atividades da escola, ela afirma que “É lamentável que quase todos os meios de comunicação de todo o mundo estejam a serviço do capital, em muito poucos países existem propostas alternativas de comunicação”.

O grande desafio, segundo a CLOC-VC, é o fortalecimento de uma comunicação autônoma, trabalhada a partir de uma lógica de redes e alianças que permita articular a nível internacional suas lutas e propostas políticas. “Nesse sentido a comunicação assume novos papéis, para além de informar, deve formar, mobilizar e transformar”.

I Escola de Comunicação Popular da CLOC-VC

Durante o V Congresso da CLOC-VC, realizado em 2009, os movimentos assumiram o desafio de fortalecer a comunicação como um componente fundamental para a construção e desenvolvimento de suas organizações. O compromisso foi expresso e discutido durante a mesa de debate sobre comunicação e concretizada em uma resolução do Congresso. Assim se iniciou o caminho para consolidar a construção da I Escola de comunicação Popular, realizada na Nicarágua, em novembro do ano passado, em que foram dados passos importantes para aprofundar a discussão política da comunicação dentro da CLOC-VC.

Um Centro de Biodiversidade, Aprendizado e Produção – RS

Para Valter Israel, da coordenação nacional do MPA, o espaço do Centro de Produção e Formação de Santa Cruz tem muito a contribuir com a formação política dos militantes ao unir teoria e prática, e apresentar as experiências camponesas que são resultados de muita organização e luta do campesinato.

“É um local onde as pessoas podem ver um pouco de nossas afirmações, conceitos, analises e concepções se materializando na prática. É um espaço que permite a visitação e processos de formação, além de transmitir nossa concepção de agricultura. Quase podemos afirmar que ao visitar o centro a nossa concepção de mundo entra pelos poros”, pontuou.

Produzido pela Comunicação do MPA

 

 

 

Posted in Uncategorized