Che continua sendo exemplo

FOTO_ENTREVISTAIII Assembleia de Jovens do Campo lembra o legado de Ernesto Guevara.

A Universidade Central de Quito se encheu de camponesas e camponeses, mulheres, indígenas, negros, lutadores pelos direitos da Mãe Terra, pela Soberania Alimentar, pelo direito à terra e por um planeta com alimentos saudáveis para todos e todas.

O dia 8 de outubro, dia da abertura da Assembleia, coincidiu com a data da queda em combate de uma figura inspiradora de todas essas lutas, que é a de Ernesto Che Guevara.

A Assembleia, da qual participaram duas centenas de jovens provenientes de organizações de todo o continente, insistiu na necessidade de formação das novas gerações militantes, tanto na teoria como na prática, para a mudança das sociedades latinoamericanas.

O encontro juvenil é parte das atividades do V Congresso da Coordenadoria Latinoamericana de Organizações do Campo – Via Campesina na capital equatoriana, que se desenvolve desde o dia 8 atéo dia 16 de outubro.

“Contra o saque do capital e do império” é o conceito central destes nove dias de debates, que começaram com atividades vinculadas aos mais jovens e este domingo e segunda-feira, continuam com a Assembleia de Mulheres do Campo.

A sede dos encontros é a Universidade Central de Quito, um campus que literalmente oferece uma vista panorâmica da cidade que é vigiada pelo vulcão Cotopaxi dia e noite.

Terça-feira, dia 12, no coliseu do campus universitário da Universidade central do Equador, dirigentes camponeses, presidentes como o boliviano Evo Morales e o equatoriano Rafael Correa e integrantes de organizações acompanhantes dos processos de luta, darão início ao V Congresso propriamente dito.

A abertura consistirá, também, em uma mobilização pelo centro histórico de Quito, em conjunto com outras organizações da CLOC – Via Campesina e do Fórum Mundial de Migração, que também está sendo realizado nesta capital. A mobilização se consistirá em uma marcha que sairá do Parque Arbolito e irá até a Praça São Francisco, a partir das 9 horas, horário do Equador.

Na cidade, que fora sede de um levantamento violento do setor policial, no dia 30 de setembro, se vive uma calma relativa e, mesmo assim, existe uma grande expectativa pela intervenção de Rafael Correa no ato público. Se esperam aproximadamente 1.000 delegados de todo o mundo, a este evento que delineará as linhas de ação estratégica dos movimentos sociais vinculados ao campo, assim como uma avaliação e diagnóstico do estado das lutas e da ofensiva do capital e das trasnacionais, quanto ao uso da terra, a água e demais bens comuns na industrialização da agricultura.

A Rádio Mundo Real, do Uruguai, entrevistou no segundo dia de sessões da Assembleia de Jovens, Cleber Folgado, do Movimento de Pequenos Agricultores (Via Campesina no Brasil). Ele se referiu ao papel da formação e também aos conceitos que devem guiar a formação das organizações juvenis. Ele lembrou, ainda, a figura de Ernesto Guevara como um referente para a juventude latinoamericana.

Enquanto isso, avaliações, discussões com ênfase em diferentes temas, formas de organização e visibilização das lutas, são parte do debate que sustenta a Comissão organizadora da Articulação de Mulheres da Coordenadoria de Organizações Latinoamericana do Campo (CLOC), que se encerra hoje, 11 de outubro.

Para assistir a entrevista, clique aqui.

Posted in Uncategorized